ASMA NÃO AUMENTA O RISCO OU A GRAVIDADE PARA A COVID-19: LEIA OS RESULTADOS DESSA META-ANÁLISE

Data de Publicação: 29/05/2021


ASMA NÃO AUMENTA O RISCO OU A GRAVIDADE PARA A COVID-19: LEIA OS RESULTADOS DESSA META-ANÁLISE

Além da idade avançada, os fatores de risco suspeitos para o desenvolvimento de doença grave devido à infecção por SARS-CoV-2 incluem a presença de comorbidades, como doenças cardiovasculares, obesidade, certas doenças malignas e diabetes.

A asma é uma doença inflamatória crônica das vias aéreas de alta prevalência que atinge mais de 330 milhões de pessoas em todo o mundo. Como o SARS-CoV-2 é principalmente um vírus respiratório, as pessoas com asma estão apreensivas pelo risco aumentado de adquirir COVID-19 com piores consequências.

Na verdade, o rinovírus humano, a causa mais comum de resfriado comum, é um gatilho potente de exacerbações de asma. No entanto, muitos aspectos da fisiopatologia da COVID-19 permanecem obscuros e os dados emergentes de estudos epidemiológicos não têm consistentemente apoiado um risco aumentado de gravidade da COVID-19 em pessoas com asma. 

Essa meta-análise estudou dados de prevalência de estudos conduzidos em todo o mundo para avaliar se a suscetibilidade ao diagnóstico de COVID-19, hospitalização ou gravidade são alterados em pessoas com asma. Foram identificados 150 estudos que examinaram a prevalência de asma em aproximadamente 1 milhão de pessoas com COVID-19 confirmado em mais de 30 países. 

Os resultados da meta-análise não indicam um risco aumentado de COVID-19 em pessoas com asma; em vez disso, eles sugerem a possibilidade de uma redução moderada do risco. Os dados também não suportam um risco claro aumentado de gravidade de COVID-19 entre a maioria das pessoas com asma.
 
Foi sugerido que a diminuição da expressão do receptor ECA2 (enzima conversora de angiotensina 2) pode diminuir o risco de gravidade e mortalidade pela COVID-19 em pacientes com asma atópica. Também foi sugerido que a resposta imune T-helper 2 (Th2) em pacientes com asma pode conter a inflamação induzida pela infecção por SARS-CoV-2.
 
Os corticosteroides inalatórios usados ​​por pacientes com asma podem reduzir o risco de infecção ou de desenvolver sintomas que levem ao diagnóstico. Os mecanismos biológicos ainda são especulativos, mas a ciclesonida, por exemplo, pode inibir a replicação do RNA genômico do SARS-CoV-2. 
 
Apesar da falta de mecanismos biológicos conhecidos, os dados dos estudos incluídos revisão e análise da literatura, não mostram evidências claras de aumento do risco de diagnóstico de COVID-19, hospitalização, gravidade ou mortalidade devido à asma.
 
 
 
(MG).


Siga-Nos



Pneumologia

Artigos que contam a história da pneumologia.