PESQUISA DE IMAGENS

 

Central de Downloads

Encontre em nossa área de downloads vários arquivos e PDF, PPT, WORD, entre outros. Todos os arquivos com relevância para sua pesquisa.

Sessão Retrô

Artigos que contam a históia da pneumologia.

COMO AVALIAR O RISCO DE TRANSMISSÃO DA COVID EM AMBIENTES FECHADOS

Data de Publicação: 20/01/2022

COMO AVALIAR O RISCO DE TRANSMISSÃO DA COVID EM AMBIENTES FECHADOS

Muitos têm ficado assustado com o rápido crescimento no número de casos de COVID19. O crescimento da transmissão é tão rápido simplesmente porque os vírus estão no ar, transmitidos por meio de aerossóis com muita facilidade, principalmente em espaços fechados.

Para se avaliar os riscos de transmissão em ambientes fechados, saber se a ventilação é boa ou ruim, é importante avaliar a concentração de CO2 no ar. Para isso, aconselha-se o uso de um sensor de CO2 infravermelho não dispersivo (NDIR), um monitor capaz de medir por meio de um feixe de luz infravermelha as moléculas de CO2 no ar, traduzindo isso em partes por milhão (ppm). O valor normal é de até 700 ppm. Valores acima de 1.000 ppm indicam um alto risco e aponta para se sair do ambiente. 

Em ambientes fechados e pouco ventilados, quando as pessoas expiram e liberam CO2, esse acumula e aumenta. Em outras palavras, se o ambiente possui grandes quantidades de CO2, isso significa que a ventilação do local é ruim e há alta chance de haver vírus aerossolizados. Como a Covid é transmitida pelo ar, além de máscaras e vacinas, esses monitores podem ser importantes. Esse monitor pode ser encontrado online no Brasil nos grandes magazines por menos de R$ 200,00 e ele pode ser particularmente útil em restaurantes, salões de beleza, shopping centers e escolas. 

Colaboração: Dr. Marcos nascimento (@pulmaosa)

 

Referências:

1. Milton, Donald K. "A Rosetta Stone for understanding infectious drops and aerosols." Journal of the Pediatric Infectious Diseases Society 9.4 (2020): 413-415.

2. Allen, Joseph G., and Linsey C. Marr. "Recognizing and controlling airborne transmission of SARS‐CoV‐2 in indoor environments." Indoor air 30.4 (2020): 557.

3. Fennelly K.P.Particle sizes of infectious aerosols: implications for infection control. Lancet Respir Med. 2020; 8: 914-924.

4. Morawska, Lidia, and Donald K. Milton. "It is time to address airborne transmission of coronavirus disease 2019 (COVID-19)." Clinical Infectious Diseases 71.9 (2020): 2311-2313.

5. Bourouiba L. Turbulent gas clouds and respiratory pathogen emissions: potential implications for reducing transmission of COVID-19. Jama. 2020 May 12;323(18):1837-8.

6. Licina D, Melikov A, Pantelic J, Sekhar C, Tham KW. Human convection flow in spaces with and without ventilation: personal exposure to floor‐released particles and cough‐released droplets. Indoor air. 2015 Dec;25(6):672-82.

7. European Centre for Disease Control Heating, ventilation and air-conditioning systems in the context of COVID-19: first update. ECDC, Stockholm2020 (Available at: https://www.ecdc.europa.eu/sites/default/files/documents/Heating-ventilation-air-conditioning-systems-in-the-context-of-COVID-19-first-update.pdf ([ Acessado em 14 Jan 2022]).

8. Tang, Julian W., et al. "Dismantling myths on the airborne transmission of severe acute respiratory syndrome coronavirus (SARS-CoV-2)." Journal of Hospital Infection (2021).

9. Tang, Julian W., et al. "Dismantling myths on the airborne transmission of severe acute respiratory syndrome coronavirus (SARS-CoV-2)." Journal of Hospital Infection (2021).



APOIO

 

Central de Downloads

Encontre em nossa área de downloads vários arquivos e PDF, PPT, WORD, entre outros. Todos os arquivos com relevância para sua pesquisa.

Sessão Retrô

Artigos que contam a históia da pneumologia.

SIGA-NOS